sábado, 11 de agosto de 2012

Reviravolta à chuva

Buffon ergue o primeiro troféu da temporada
A Juventus conquistou a 5ª Supertaça de Itália da sua história ao vencer o Napoli por quatro bolas a duas após prolongamento. Perante uma chuvada que se abateu sobre a capital chinesa, bianconeri e partenopei disputaram uma partida intensa, de enorme disponibilidade física, golos bonitos, erros defensivos crassos, polémicas, expulsões e enorme falta de fair-play napolitana.

Carrera no banco. Lúcio, Asamoah e Giovinco em campo. As novidades da Juve relativamente à temporada passada, visto que o esquema táctico voltou a assentar no 3-5-2, táctica semelhante à do Napoli que apresentou apenas um reforço no onze inicial: o suíço Behrami.

O cariz do jogo foi praticamente o mesmo durante duas horas. Domínio territorial e posse de bola para a Juventus. Tentativa rápida de contra-ataque para o Napoli. Buffon e De Sanctis mostravam-se bastante seguros na defesa das suas balizas até que Bonucci - elemento mais recuado da defensiva juventina - resolveu subir para a frente da linha de meio-campo, deixando Cavani isolar-se completamente à vontade. Buffon ainda conseguiu suster a primeira tentativa de golo do uruguaio, mas nada conseguiu fazer perante a recarga. Pouco depois, novamente Bonucci em destaque pela negativa. Displicente ao tentar aliviar uma bola contra Pandev, permitiu que o macedónio se escapasse e executasse um chapéu de belo efeito sobre Buffon. Pelo meio, Asamoah acertou um tiro de primeira, correspondendo de forma exímia ao cruzamento de Vidal, mantendo a Juventus na discussão do jogo.

Vucinic surgiu no recomeço em vez do inoperante Matri e o futebol desenvolvido pelos bianconeri melhorou de forma significativa. De Sanctis teve que se aplicar com afinco em três ocasiões e a linha defensiva partenopea recorria de forma sistemática a entradas mais duras para suster as investidas da Juve coleccionando amarelos. O contra-ataque deixou também de sair com perigo e, sem surpresa, a vecchia signora chegou à igualdade na transformação exímia de uma grande penalidade por Vidal a punir derrube de Fernandez a Vucinic. O Napoli sentou o toque e cavou a própria sentença com Pandev a insultar o fiscal-de-linha e a ser expulso. Zuniga, já com uma admoestação, não refreou os ímpetos, vendo duplo amarelo por nova entrada ríspida. Mazzarri também viu o vermelho devido a protestos.

Reduzido a 9 jogadores no prolongamento, pouco mais restava ao Napoli do que defender-se e tentar levar a decisão para as grandes penalidades. Objectivo não alcançado visto que a supremacia bianconera era por demais evidente. Maggio ajudou ao desviar de cabeça para a própria baliza um pontapé livre para, pouco depois, Vucinic sentenciar definitivamente a partida, concluindo facilmente uma assistência de Marchisio.

Não obstante os erros defensivos, vitória justíssima da Juventus que soube reagir às adversidades, evidenciado um enorme espírito colectivo e de união entre os jogadores. Deplorável a atitude do Napoli que abandonou o terreno de jogo logo após o apito final, não recebendo inclusivamente as medalhas pela participação na competição. O árbitro Mazzoleni esteve em bom plano, limitando-se a cumprir as regras perante a excessiva agressividade exibida pelos jogadores partenopei no segundo tempo.

Os highlights:
video

Sem comentários: